julho 13, 2009

A arca perdida

Por Renato Thibes


A notícia mais bombástica do ano passou batida na grande mídia. Mais que escândalo do Senado, queda de avião, gripe suína ou especulações sobre o fim do mundo em 2012: no final do mês passado, surgiu a informação de que a Arca da Aliança não só estaria na Etiópia, como seria levada a público.

Notícia aqui: vão mostrar a Arca!

A vantagem da Arca da Aliança em relação a todos os outros artefatos bíblicos é que ela já vem com trilha sonora do John Williams. Fica aí a dica para fabricantes de brinquedos: uma Arca da Aliança em formato de porta-jóias que toca John Williams. Eu não tenho jóias, mas eu compraria.

Fiquei emocionado com a notícia. Lembrei da primeira vez que vi "Os Caçadores da Arca Perdida" e corri pra procurar na Bíblia histórias sobre a Arca. Senti calafrios na espinha recordando a cena em que Indy explica aos agentes secretos por que a Arca é tão importante. Twitei: "aconteça o que acontecer, Marion, fique com os olhos fechados".

Mas aí notei que eu era o único achando que isso era a principal notícia da década ao lado do 11 de setembro. Então fui pesquisar e descobri que era tudo mentira. Não, não vão mostrar a Arca pra ninguém. Foi tudo boato da mídia italiana. Italiano não sabe ficar com a boca fechada.

Notícia aqui: era mentira!

Aí o tiozão com cara de sacerdote do "Templo da Perdição" (outro filme, outra história) diz que eles até têm a Arca, mas que não vão mostrá-la pra ninguém. Aí é fácil. Eu também tenho o Santo Graal (outro filme, outra história) na minha casa, só que não mostro pra ninguém. Tomo leite nele antes de dormir toda noite.

Assim, nossa última lembrança da Arca da Aliança permanece aquele relance da caixa aberta na Área 51 em "O Reino da Caveira de Cristal" (outro filme, outra história), e eu nem sei se ela e todos os fetos alienígenas (isso é do "Arquivo X", não confunda) não foram destruídos por aquela explosão da bomba atômica - mais um problema geográfico desse filme ruim.

Eu não sei o que é pior. O destino dado pela humanidade (Etiópia?) ou o dado pelo cinema.

Via blog: Registro Dissonante

2 comentários:

  1. Pr. Sérgio A. Dias13 de julho de 2009 17:38

    Tudo bem, cada povo com a verdade (ou mentira) que merece! Só não entendí foi aquela "pérola" do Che Guevara, com a recomendação de pensar naquilo, como se a filosofia de um guerrilheiro assassino tivesse a mínima importância para mim! Da próxima vez que utilizarem um pensamento, usem a sabedoria de um homem (ou mulher) de Deus, que realmente tenha valor espiritual. Todos nós sabemos qual era a "ternura" de Che Guevara: fuzís, metralhadoras, granadas, execuções, seqüestros e mortes. Parem de valorizar esse assassino, que nada tinha de romântico, a não ser, talvez, para as suas "chicas"!!!

    ResponderExcluir
  2. Caro PR Sergio,

    Em primeiro lugar - o que vc considera como um homem ou mulher de Deus? Esta resposta é fundamental para que eu possa identifacar se você é um homem de Deus ou um homem da religião.

    Em segundo lugar: por que isso te ofende tanto se para vc não tem importância?

    Em terceiro lugar: Você disse: "como se a filosofia de um guerrilheiro assassino tivesse a mínima importância para mim!"
    Como que você sendo pastor não sabe conviver e respeitar as diferenças? Se para você não tem importância, lembre-se sempre que é PARA VC, e como individuo respeitar as diferenças é não ser preconceituoso acredito eu(minha opinião, que fique bem claro é no minimo o primeiro passo para ser um pastor, digo isso pois Jesus,foi em lugares na qual os homens de "deus" na epoca não foram, sem nenhum preconceito.

    No mais fique com Deus,

    Venha aqui sempre,

    Suas opiniões serão sempre bem vindas, como todas são por aqui.

    ResponderExcluir